Big Data no RH Estratégico: como a tecnologia impulsiona a gestão de talentos

big data aplicada ao RH estratégico

Big Data no RH Estratégico: como a tecnologia impulsiona a gestão de talentos

Vivemos em uma era de mudanças tecnológicas rápidas e constantes, transformando o panorama dos negócios a cada piscar de olhos. Você já parou para pensar como isso impacta o setor de Recursos Humanos (RH), um dos principais pilares de qualquer organização?

A necessidade de se adaptar e incorporar essas inovações não é apenas sobre modernizar as ferramentas de trabalho. É sobre estar pronto para surfar a onda da inovação e garantir que o RH continue sendo um motor estratégico para o desenvolvimento da empresa.

E adivinha só? A nova geração de talentos, os nativos digitais, estão trazendo uma exigência específica: eles esperam que as empresas compreendam e utilizem as tecnologias emergentes.

Você, como profissional do RH, sabe o montante de dados e processos que este setor precisa lidar todos os dias. Então, que tal se tivéssemos um aliado para nos ajudar com isso? 

Neste artigo, vamos mostrar como o Big Data pode ser esse grande parceiro para um RH Estratégico. Vamos lá?!

O que é Big Data?

Imagine uma quantidade colossal de dados, tão gigantesca que supera qualquer coisa que você já tenha visto. Agora pense em conseguir desvendar todos esses dados, analisando-os e retirando deles informações cruciais. Parece um superpoder, não é mesmo? Pois é exatamente isso que o Big Data faz!

A origem do termo “Big Data” remonta a 1997, e foi criado pelos pesquisadores da NASA Michael Cox e David Ellsworth

Apesar de parecer complexo, a ideia é bastante simples: estamos falando de uma montanha de dados, ou melhor, um mar de informações. E quando falamos de mar, queremos dizer um oceano de dados. Realmente “imenso”, né?

Para você ter uma ideia, atualmente, em um único dia, produzimos mais conteúdo do que uma pessoa consumia ao longo de toda a vida no século passado. A quantidade de dados criados atualmente é extraordinariamente alta e continua a crescer em um ritmo acelerado.

Um relatório do International Data Corporation (IDC) de 2020 previu que o volume total de dados no mundo alcançará 175 zetabytes até 2025. Um zetabyte é equivalente a um trilhão de gigabytes, ou 1.000.000.000.000.000.000.000 bytes. É até difícil imaginar, né?!

Claro, nosso cérebro não foi feito para processar tudo isso de uma vez só e encontrar padrões. E, é por isso, novas ferramentas foram criadas para enfrentar esse desafio, para serem capazes de navegar neste vasto mar de informações e pescar apenas aquilo que é realmente importante para o nosso negócio.

No caso do setor de Recursos Humanos, essas informações preciosas extraídas pelo Big Data podem ser transformadoras. Logo, em poucas palavras, o Big Data é uma ferramenta tecnológica que auxilia na análise de grandes volumes de dados e na extração de conteúdo relevante para embasar decisões mais informadas e assertivas.

Como funciona o Big Data 

O Big Data, como já discutimos, é uma estratégia robusta de análise de dados que incorpora métodos estatísticos para examinar dados multivariados, muitas vezes gerados em tempo real. O cerne do sucesso do Big Data reside na rapidez com que as organizações podem acessar as informações necessárias para a tomada de decisões fundamentadas.

Graças ao Big Data, muitas decisões estratégicas podem ser tomadas até mesmo antes de uma tendência se consolidar no mercado. Isto é, o sistema pode detectar sutis mudanças direcionais, proporcionando agilidade sem precedentes ao processo decisório.

A análise no âmbito do Big Data considera, principalmente, cinco aspectos chave. Veja quais são abaixo.

  1. Volume de dados: no passado, as informações eram armazenadas principalmente em dispositivos físicos, como livros. No entanto, desde 2012, estima-se que aproximadamente 98% dos dados se tornaram digitais. Isso facilita enormemente a análise tecnológica de tudo o que é produzido diariamente.
  2. Variedade de dados: os dados podem ser originários de redes sociais, blogs, sites, GPS, celulares, e-mails, transações financeiras, dentre muitos outros. Tratam-se de diversas fontes simultâneas, que contribuem para a riqueza e diversidade da análise.
  3. Velocidade dos dados: a análise dos dados em tempo real é fundamental para que as informações relevantes possam ser detectadas e processadas o mais rápido possível. Assim, podemos identificar padrões emergentes e a compreensão de quais dados estão se tornando relevantes, com um fluxo constante de informações sendo processadas.
  4. Veracidade dos dados: a autenticidade das informações é igualmente crucial. Em um ambiente tão vasto, o desafio é distinguir os dados reais dos falsos e garantir a confiabilidade da análise.
  5. Valor dos dados: após todas as checagens e análises, é fundamental assegurar que as informações extraídas desse mar de dados são realmente úteis e valiosas para os objetivos estratégicos da organização.

Portanto, o Big Data é um processo dinâmico e complexo que se baseia em inúmeras variáveis para garantir que as análises de dados sejam tanto confiáveis, quanto relevantes para as organizações.

Uma vez entendidos e corretamente aplicados, esses princípios podem servir como uma bússola para navegar no mar de informações que estamos gerando diariamente.

Para trabalhar com um RH Estratégico, é fundamental investir em Big Data.

Para trabalhar com um RH Estratégico, é fundamental investir em Big Data.

Benefícios do Big Data para o RH Estratégico

O Big Data visa a análise ágil de um vasto volume de dados não estruturados, um recurso inestimável, especialmente para o setor de Recursos Humanos (RH), no qual a avalanche de informações diárias é uma realidade constante. 

A implementação do Big Data permite a criação de um sistema robusto capaz de integrar, gerenciar e, principalmente, analisar essas informações para fornecer insights valiosos.

Para entender o processo, imagine assim: todos os dados coletados são reunidos ‘em estado bruto’ em um servidor central. A partir daí, eles são organizados e gerenciados, preparando-os para a próxima fase: a análise. Aqui, a magia do Big Data realmente acontece. É hora de fazer cruzamentos, correlações e comparações para extrair os resultados desejados.

As informações resultantes desta análise permitem ao profissional de RH uma visão mais profunda dos comportamentos dos colaboradores, proporcionando a possibilidade de melhorar processos, reduzir custos e muito mais.

As riquezas que o Big Data oferece ao RH vão além. Com base no cenário analisado, é possível planejar estrategicamente, contratar com mais precisão, identificar padrões de comportamento ideais, reter talentos e minimizar erros operacionais.

Se o setor de RH está considerando a implementação de uma estratégia de People Analytics, o Big Data se apresenta como um parceiro crucial nesse empreendimento. 

Lembre-se: em um mundo cada vez mais digital e interconectado, dados são poder, e a capacidade de decifrá-los e utilizá-los efetivamente pode proporcionar uma vantagem competitiva significativa

Como implantar Big Data no RH?

Agora que já vimos como o Big Data é relevante, é importante incluí-lo no planejamento estratégico da empresa, especialmente no setor de Recursos Humanos.

Geralmente, o investimento em Big Data não é setorizado, mas feito em uma perspectiva organizacional ampla. Embora cada setor tenha suas próprias especificações para análise, a implementação do Big Data ocorre geralmente em toda a empresa.

O RH pode – e deve – ser o catalisador nesse processo, identificando a necessidade, apresentando as possibilidades e benefícios da adoção do Big Data. Ainda assim, os ganhos são potencializados quando o Big Data é adotado como uma estratégia empresarial.

A implementação do Big Data exige tecnologia, recursos financeiros e profissionais especializados em análise de dados, ou seja, cientistas de dados. Estes especialistas devem ter conhecimentos em tecnologias emergentes, computação em nuvem, linguagens de programação, gerenciamento de dados, mineração de dados, estatística, análise de gráficos, entre outros.

Uma alternativa é a contratação de softwares especializados capazes de analisar e apresentar esses dados, o que pode simplificar a estratégia de adoção.

Todos os aspectos devem ser cuidadosamente considerados, uma vez que o Big Data pode se tornar um forte aliado do RH na tomada de decisões estratégicas que impactam diretamente a organização.

Conclusão

A integração do Big Data na estratégia organizacional e no setor de RH pode levar a avanços significativos para a empresa. Com a capacidade de processar e analisar grandes volumes de dados em tempo real, o Big Data permite que as organizações compreendam melhor seus funcionários, otimizem os processos de RH e façam decisões estratégicas mais acertadas.

No entanto, é importante notar que a implementação do Big Data requer um investimento significativo em tecnologia e especialistas em ciência de dados. Além disso, embora o RH possa ser um impulsionador na adoção do Big Data, é mais vantajoso quando a estratégia é adotada em toda a empresa.

Atenção! É crucial lembrar que o Big Data é uma ferramenta poderosa, mas deve ser usada de maneira responsável. As organizações devem garantir que estejam em conformidade com todas as leis e regulamentos de privacidade de dados e que estejam usando os dados de uma maneira que beneficie seus funcionários e a organização como um todo. 

Como um recurso transformador, o Big Data tem o potencial de revolucionar o RH estratégico e, por extensão, toda a organização, tornando-a mais eficiente, informada e ágil.

rafaela
rafaela.brandao@mlearn.com.br


×